Como evitar passivo trabalhista durante o home office

06/05/2020

[Tempo de Leitura: 3min]

A pandemia provocada pelo coronavírus fez com que muitas empresas encontrassem no home office a solução para manter o negócio funcionando e evitar demissões em massa.

Ao mesmo tempo, essa medida traz uma reflexão: como garantir um ambiente adequado ao trabalho remoto e minimizar um futuro passivo trabalhista?

Mesmo que a preocupação das empresas seja lutar para manter suas atividades ativas e a economia girando, a adoção do esquema home office exige planejamento, de forma que o bem-estar dos funcionários não seja comprometido a longo prazo e nem o empresário enfrente graves problemas com passivos trabalhistas.

 

Home office e o risco de passivo trabalhista

Existem muitas empresas que, antes mesmo da pandemia, já adotavam o home office de maneira total ou parcial entre seus funcionários, como forma de reduzir gastos e aumentar o bem-estar e o nível de qualidade de vida de todos.

Ao mesmo tempo, é importante notar que este sistema pode facilmente se tornar cada vez mais comum no mundo corporativo, abrangendo empresas de diferentes segmentos e portes.

Um dos motivos é justamente a redução de custos. A empresa não precisa arcar com os gastos de transporte dos funcionários. Para o funcionário, o trabalho remoto também pode ser benéfico. Uma vez que a equipe não sai de casa, aumenta-se a sensação de segurança, pois reduz-se os riscos decorrentes do deslocamento diário.

Os gastos com aluguel de sala para acomodar as equipes e outras despesas que também pesam no orçamento mensal são poupados, como luz, água, serviços de limpeza e mantimentos em geral.

Entretanto, sem o amparo legal, a empresa pode sofrer a médio prazo com a adoção do home office.

Diferente do ambiente de trabalho, o funcionário que trabalha em casa nem sempre tem toda a infraestrutura – mobiliário e equipamentos – para executar suas atividades sem riscos de lesões. Uma mesa com altura inadequada ou uma cadeira desconfortável pode trazer riscos à saúde do trabalhador.

E é nessa hora que a empresa sofre com o chamado passivo trabalhista, pois não tomou as medidas cabíveis para evitar dores de cabeça.

LEIA MAIS: Atenção aos direitos do trabalhador durante o home office

 

O que fazer para evitar passivo trabalhista?

É importante a empresa se precaver para manter um bom relacionamento com o empregado, evitando desavenças graves no futuro.

Esse cuidado pode ser tomado com a ajuda de consultorias especializadas, que estão atentas e prontas para respaldar as empresas. É o caso da WAaps Solutions. Além de ser especializada no aluguel de equipamentos de informática (notebooks, desktops, tablets e smartphones), conta com parceiras nas áreas jurídica, medicina ocupacional e de mobiliário.

A assistência jurídica vai orientar adequadamente a empresa em relação às suas obrigações ao adotar o sistema home office. A consultoria de medicina ocupacional ajuda a empresa a oferecer aos colaboradores mesas, cadeiras ergométricas e demais móveis que estejam de acordo com o trabalho a ser executado remotamente.

E o suporte de medicina ocupacional também vai permitir que a saúde física e mental dos funcionários se mantenha excelente durante o trabalho remoto. Essa preocupação inclui visitas à residência e envio periódico de vídeos com exercícios laborais para evitar qualquer tipo de lesão.

Você pode ter a exata noção de custos por cada posição de teletrabalho.

Para entender melhor como a WAPS Solutions pode ajudar a sua empresa a evitar passivo trabalhista, entre em contato pelo telefone (11) 4385-6231 ou preencha nosso formulário de contato.

Open chat